sexta-feira, 4 de Abril de 2014

Entre cão e gato não se mete... nada, se faz favor


No seguimento do post anterior, mesmo a propósito, acabo de hospedar esta belezura!

Quando vi esta foto no FB do Centro Veterinário de Alverca com a informação de que tinha sido recolhido em plena CRIL, atarantando no meio dos carros, pensámos todos em casa: se não tivessemos o Alex...
Esclareço que Alex é o gato, desculpem, o rei lá de casa.

Falamos com o casal que o acolheu e que porque já tem um trio de cães, não pode ter mais nenhum, e acordámos uns dias de experiência, para ver como reagem os dois.

Alex, Sua Excelência Sereníssima, não lhe dá importância. São do mesmo tamanho, como tal não o considera um oponente.

O cachorro (apenas pelo tamanho, porque segundo o veterinário já não é nenhum bebé), curioso, vai lá de vez em quando, mas mal o outro o olha com um olhar fixo, afasta-se prontamente.

Portanto, em menos de 24 horas, o resultado parece-me bom... ainda tem mais dois dias, a conselho do VET, para testar.

Alex, O Rei

terça-feira, 1 de Abril de 2014

Com a Cara Na Almofada


Roubei algures da Internet, porque me apaixonei!

Eu e a doença das almofadas. E não tem nada a ver com a doença do sono.

segunda-feira, 24 de Março de 2014

Ondas em Água Doce - A velha dos gatos

Na cidade onde moro vai para quase trinta anos, vivia, dizem os moradores antigos, uma senhora de idade que no seu casarão de gente de família, vivia sozinha (viúva ou solteira, não me esclareceram), com as suas centenas de livros e dezenas de gatos.

Dedicava os dias a ler, e a tratar dos seus bicharocos, uns da casa, outros forasteiros, visitas temporárias do quintal, onde ela os alimentava.

Nunca fui de gatos, cães era mais a minha onda, mas por via do destino, tenho agora um felino em casa.
Isto quer dizer que? Quer dizer que sempre me custou ver animais abandonados, ou a valerem-se a si próprios pelas ruas, mas agora que lido com um diariamente, ainda me custa mais.

Resultado: todos os serões, aí vou eu, qual velha dos gatos, por comer à disposição de uns quantos gatos que andam perto da minha casa. E de volta a casa, depois das tarefas terminadas, sento-me com os meus livros.


quinta-feira, 20 de Março de 2014

Ondas em Água Doce - Ajudar

Gosto de ajudar as outras pessoas.
Se é porque sou boa pessoa (dúvido) ou porque gosto mesmo dos ares de satisfação (não gratidão) de quem é ajudado, não faço ideia, mas gosto.

Agora há uma coisa, muito muito importante, gosto de ajudar, mas não gosto que me façam de criada e que considerem a ajuda garantida, ou uma obrigação.

E nessas alturas penso que se dou importância a esse fato é porque não sou boa de facto, mas gosto de me armar em boa.


quarta-feira, 19 de Março de 2014

Ondas em Água Doce - Dias

 Há quem diga que dias cinzentos ou chuvosos, deprimem.


O que me deprime a mim, são dias como os de hoje e eu fechada, sem poder sair.




quarta-feira, 12 de Março de 2014

PAUSA ou RESET?


Já por duas vezes pensei em encerrar este blogue.

Não é que tenha deixado de gostar dele já que foi o meu primeiro grande passo no mundo cibernético, não é por não gostar de visitar outros blogues do género, nem é por não querer publicar, é que não está a haver andamento (motivação), como eu gostaria.

Uma vez disse que o ia encerrar e depois tive pena de perder tudo o que eram links de outros blogues que costumo visitar e lá reassumi o meu blogue e algumas publicações.

Outra vez, sem dizer nada, "abandonei-o" uns tempos, mais interessada em outros temas e em outras atividades. Mas um dia, por algum motivo voltei a publicar... 

Gosto de fazer coisas, gosto de ver e de partilhar ideias, mas estou a ficar desmotivada nas atividades que me levaram a abrir este blogue e a obrigação de ter de publicar, coisas que neste momento não me ocupam assim tanto, de quando em quando dá-me um toque de alerta e isso começa a aborrecer-me.

Tinha pensado fazer uma pausa e passado algum tempo decidir pela continuação ou o encerramento definitivo, mas....

Como nunca deixamos de pensar e é por isso que existimos (já dizia o outro) não vou encerrar as estrelas da minha vida. Vou fazer um RESET ou mais propriamente REFRESH e em vez de ter três blogues (TRÊS!!), vou encerrar o mais recente e passar a publicar neste a diversidade de assuntos de publicava no outro.

Cada vez que fizer uma publicação que seria publicada no outro vou chamar-lhe 


porque o nome me agrada e acho que serve muito bem os propósitos.


sexta-feira, 14 de Fevereiro de 2014

Gola, golinha e gato


Ainda não me tinha dedicado ao tricot este inverno e influenciada por uma vizinha que faz golas, cachecois, ou o que seja do estilo, de empreitada, resolvi fazer uma gola. Ficou muito leve, fofinha e quente.




Com a sobra da lã, achei bem fazer uma mais pequena para a sobrinha (se gostar, claro)


Testámos no gato e é razão para dizer: cada um aquece o que quer




quinta-feira, 13 de Fevereiro de 2014

Reaproveitar para Brincar

Quando uma pessoa anda cheia de preguiça (no que respeita a artesanato) tem que aproveitar as ideias das outras pessoas.

Achei magnifico, fazer casas e palácios com garrafas de detergente.

Saquei da Net, mas não sei de onde. Sorry!

quarta-feira, 5 de Fevereiro de 2014

Despojamento e tranquilidade

Não sou fã de casas demasiado decoradas, cheias de objectos de decoração, quando esses objectos são apenas sinónimos de "balões cheios" e que não expressam nada a não ser ostentação.

Balões cheios - é um termo que aprendi há anos no meu primeiro emprego, por um chefe, que os usava para se referir a coisas que não tem qualquer importância, não têm nada de miolo, apenas enchem a vista.

A  minha casa, apesar da sua modéstia, tem dias (alturas de decoração) em que me parece um balão desses. Cheio, mas sem nada.

É nessas alturas em que me apetecia virar tudo do avesso, desfazer-me de tudo ou quase tudo e comprar novo (isto sou eu a alucinar, claro!).


Gostava de ter um recanto de sala, assim... Para ler, beber o meu chá... passar tempo...



E uma cozinha destas... ampla, arejada, clara... tão a minha cara



E um cantinho destes que não ocupa espaço em lugar algum e tem tudo o que é preciso para ser útil, esteja em que divisão da casa estiver.


sexta-feira, 24 de Janeiro de 2014

Ténis são ténis, mas quanto mais lindos melhor...

Não precisam de ser de luxo para eu os querer usar, porque gosto muito de ténis. Não uso mais vezes porque... porque...

No trabalho não existe dress code pelo que há dias em que marcho sobre ténis... mas também marchava muito feliz sobre estes


Podem ver mais aqui.
Adorei os cor-de-rosa. Aliás os meus primeiros ténis Nike, foram cor-de-rosa... está no sangue.

http://40andfashionista.blogspot.pt/2014/01/chanel-spring-summer-2014.html#comment-form


quarta-feira, 22 de Janeiro de 2014

Qualquer coisa...

Neste momento, abri a mensagem com intenção de publicar qualquer coisa, porque já não aguento mais abrir o blogue e dar de caras com um post de Votos de Feliz Natal, para lá de desatualizado. Afinal já estamos quase no final de Janeiro do ano seguinte.

Entretanto, enquanto pensava o que iria publicar que levasse pelo menos a que quem lesse, visse alguma foto bonitinha, lembrei-me que poderia colocar fotos de coisas que gostaria de fazer, mas ainda sem data certa para o inicio dos projetos, porque começa a ser complicado gerir tanta atividade a) ao mesmo tempo.

a) Sinónimo desta atividade: relaxar aos serões depois das lidas domésticas (obrigatórias), a beber uma bela chávena de chá e a ler um bom livro, ou simplesmente a ver televisão, enquanto apaparicamos ideias para um novo projeto de escrita. Isto de ser escritora nas horas vagas é o que dá, há sempre ideias a saltitarem e a querem ser transformadas...


Mas voltando aos projetos de artesanato... porque nunca estão completamente postos de parte.

Anda a apetecer-me ter uma saia do estilo desta. 
Por norma durante a semana visto calças que são mais rápidas e fáceis de conjugar nestes dias de inverno em que a imaginação para moda está pelas horas da amargura.



Gostava de fazer umas almofadas destas para plantar no sofá e para oferecer.
Uma coleção desta variedade era de valor, mas só uma ou duas já eram suficientes

Este molde não é de almofada propriamente dita, mas também fica bem a fazer de almofada.



 Esta ideia também anda a namorar-me. Achei delicioso para quarto de menina. O problema é que as meninas para quem eu as faria têm nomes muito longos e não havia almofadas que chegassem.
Poderia sempre usar a ideia dos laços a unir e colocar em uma almofada a inicial do nome e nas outras duas aplicações ao gosto da freguesa.


Apaixonei-me por estes mochos quando vi a imagem algures no FB.
Porta comandos, telemóveis ou apenas almofada (pequena ou grande) gostaria de fazer.


Portanto, sem ideias eu não ando... o problema é passar à prática. Mas qualquer coisa há-de (tem de) sair. Um dia destes...


Nota: Todas as fotos são retiradas da net (o problema é que as guardei por ter gostado e não guardei os sites). Se alguém as reconhecer é só dizer e darei os devidos créditos.

sábado, 21 de Dezembro de 2013

Feliz Natal

Independentemente do que cada um um sinta pelo e na altura do Natal, não devemos esquecer o seu verdadeiro significado.




Tivesse ele sido um apenas homem invulgar e magnifico que deixou uma mensagem que quer queiram quer não, toca a todos de alguma forma, quer ele seja de fato Filho de Deus,  Deus na terra, espero que o espírito do Natal toque a todos e nos dê um pouquinho de paz, na nossa vida atribulada.



segunda-feira, 16 de Dezembro de 2013

Mesas de Natal

Na realidade, nunca penso muito em como vou decorar a minha mesa de Natal, porque uma vez que não tenho mesa de jantar (uma decisão tomada assim que comprei casa quando casei há quase trinta anos
e preferi ocupar o espaço da mesa com uma lareira - situação que ainda se mantém na casa atual, embora com lareira diferente), as refeições (todas) são feitas na mesa da cozinha.

Ora como se desconfia, por vários post meus com queixas, a minha cozinha não é propriamente o supra sumo da largueza e a mesa, além de servir para acomodar quem vai comer, serve igualmente para dar apoio enquanto se está a tratar do assunto.

Resultado: decoração minimalista, sem grandes acessórios e a única coisa que prima na decoração é o serviço de jantar e a toalha alusiva.



É por causa das toalhas que apresento esta publicação. Vi no blogue White-Glam, uma publicação sobre mesas de Natal, em que o tema principal eram as velhinhas toalhas verdes e vermelhas com azevinho e tive que me rir, comentar e fazer esta publicação.

Concordo que já chega dessas toalhas, mas atenção que falo por mim. Quem tem e gosta é só usar e curtir.
Eu já estou farta das minhas!
Tenho uma com a mesma idade do meu casamento (foi a toalha do primeiro jantar de Natal que cobria uma mesa improvisada com tripés de carpintaria e uma placa de madeira perfurada), tem fundo branco e quadrados com velinhas e azevinho.

Tenho outra, mais comprida, em tons de verde e vermelho, com um estampado mais contemporâneo

e outra mais recente, em uma tela semelhante a linho ou a estopa macia, como queiram, com aplicações douradas, muito rococó.


Ando há um par de Natais, a pensar em substitui-las (às três) por qualquer coisa mais leve e mais clean e acho que é este Natal que a coisa vai acontecer.

Entretanto, deixo-vos aqui com algumas imagens de mesas de Natal que tirei da net (que mais ninguém lá vai, só eu!) e que me encheram o olho, ou me engordaram os olhos como ouvi dizer há dias.

Acho os individuais uma boa ideia, mesmo para o Natal, porque servem para os pequenos-almoços ou outras refeições privadas e rápidas ao longo da época, ou fora dela, se não forem natalícios como estes não  o são.

Os dourados hão-de ser sempre a marca especial do Natal. Juntos com o branco, ficam muito bem.

É Natal em terras de verão, de certeza. Adorei a decoração contemporânea com as cores tradicionais

Se eu tivesse uma daquelas cozinhas alentejanas, com fogão de lenha no chão, era uma mesa destas que usaria. Só mudava as cadeiras...

Achei uma delícia os "caminhos" (ou aplicações diferentes na toalha) para colocar os talheres

E se existe mesa à parte para a criançada (em famílias grandes acontece muito) porque não uma mesa especial?


quarta-feira, 11 de Dezembro de 2013

Flores em fundos de garrafa? Quem diria?


Com tanta garrafa de plástico que me passa pelas mãos, nunca diria  que têm flores no fundo.

Achei a ideia maravilhosa e decidi partilhar.

E ainda hei-experimentar, mesmo que não tenha garrafas com fundos em degradé de azul.

domingo, 8 de Dezembro de 2013

Natal... a partir de hoje

Claro que isto é apenas um pro forma...

No meu tempo, ou seja quando eu vivia em casa dos meus pais, a árvore de Natal apenas era montada no dia 8 de Dezembro.
Enquanto, era eu que a montava, fui conseguindo manter a "tradição", mas desde que as minhas estrelas começaram a montá-la, acabou-se a tradição e ainda não terminou Novembro, já andam às voltas com a árvore e os outros enfeites de Natal.
Mas vamos fingir de conta que só a partir de hoje, é Natal cá em casa...
À noite, com as luzes acesas...

Durante o dia

O meu pai Natal azul... que em cada Natal "mora" em um lugar diferente


Os meus "leitores" porque ficam sempre na estante



Uma vista (mais ou menos) geral da sala.
Como podem reparar a mesa não tem qualquer enfeite, porque preciso dela (quase) livre para a ocupar com tudo o que calha durante o serão (livros, computador, chocolates, etc)


Esta não é por ser Natal (esqueçam o laço dourado no candeeiro torto), é por ser a minha mesa de apoio.
Sento-me normalmente, no sofá, ao lado e chego a tudo o que quero: comando, livros, kindle, óculos, caderno de notas, canetas, etc. Tudo o que uma mulher precisa para ter um serão feliz. não esquecendo a chávena do chá, quando são horas dele... na hora da foto, o pequeno-almoço tinha sido rei e na cozinha, por isso...