terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Decorar a Mesa da Ceia de Natal

Já o ano passado, a dada altura, uns dias antes do dito, publiquei algo sobre a decoração das mesas para a ceia de Natal. E este ano, volto a publicar mais do mesmo. Como não devo ter mesa decorada que mereça honras de publicação, partilho outras.

Numa visita regular ao blogue Home Living For vi uma ideia de toalha para a mesa de Natal, muito gira e singela!
Como tal, inspirada pela coisa, andei a dar uma olhadela pela blogosfera e vi mesas tão diferentes e bonitas que não resisti e tenho que partilhar, indicando no fim de cada foto o link do blogue proprietário.
Só as partilho, porque as fotos também foram partilhadas para um desafio.
Vão gostar de certeza.

The Happy Housie


Up To Date Interiores

Simple Stylings



Place of My Taste


Oh Every Thing Hand Made


Mountain Modern Life


Hey There Home

Design Improvised









quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Doces de Natal

Seguindo a mesma onda das decorações de Natal, este ano terei que evitar os fritos de massa tendida em mesa enfarinhada, porque tenho a certeza que o o Sam ia chafurdar tudo.

Como tal, vou dedicar-me aos fritos simples, para os quais além dos ingredientes, só preciso de uma tigela, uma colher e a frigideira.


FRITOS DE ABÓBORA - Estes não podem faltar


                                 PAPOS DE ANJO

BOLINHOS DE CHUVA - coisa mais rápida e prática, não há

Se souberem de outros dentro da mesma modalidade, agradeço que me digam...

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Desesperar ou Animal Positivo

Quem o vê aqui com a cabeça enfiada no prato da ração porque deixou-se dormir, pode ser levado a pensar que cão tão fofinho!
E é fofinho, sim e mimoso e tem uma cara de palerma que apetece esborrachar com mimos, mas depois vem a faceta de cachorro doido que destrói tudo o que apanha.

E aí ou desistimos e deixamos que faça tudo o que quer e gritamos de desespero cada vez que chegamos a casa, ou pensamos positivo e pedimos ajuda.

Resolvi pensar positivo e pedir ajuda. A partir de ontem, o Ricardo Oliveira da Animal Positivo é a nova visita lá de casa e tenho esperanças que lhe consiga dar a volta.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Ornamentos de Natal Vintage




Só tenho duas frases a publicar

Primeira : os ornamentos de Natal antigos (vintage) eram mais coloridos e berrantes, mas o pessoal começou a armar-se em fino e amofou tudo.

Segunda: quero destes para a minha decoração deste ano, mas não sei muito bem onde os vou arranjar.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Árvore de Natal

Por muito que o espírito natalício ainda não tenha tomado conta de mim, há um assunto muito especifico da época que já foi discutido cá em casa - árvore de natal.
A nossa árvore de Natal tem cerca de 1,8 mt e costumava ser colocada a um canto da sala ao lado da janela.


E digo costumava, porque aí é que começa a desgraça. Este ano não vai ser colocada em lugar nenhum.

O bicho preto, é um cachorro com 6 meses que neste momento e não sei por quanto tempo mais, devora tudo o que encontra ao alcance da boca. Imaginem o que aconteceria aos meus enfeites da árvore (bolas, estrelas, bonecos, etc) e à própria árvore e as despesas que depois teria no veterinário!
Neste momento, tenho a sala com a decoração mais pindérica (no sentido de fraca, não de pirosa ou pelintra) que me lembro.

Então decidi que vou ter que colocar em cima do aparador, uma árvore pequena, apenas para ter árvore. Porque Natal sem árvore de natal é como aniversário sem bolo! Para tal, tenho andado a ver alternativas.




Ou as tradicionais em tamanho reduzido. Existem no Jumbo com 90cm a EUR 2,99.




É uma oportunidade para mudar toda a decoração usada há alguns anos, uma vez que mesmo que seja toda, é em quantidades reduzidas e como tal não ficará cara.


segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Sem cor definida

Quantas vezes me apetece, apagar todas as cores que me escravizam na tentativa de encontrar combinações e conjuntos que fiquem bem e deixar-me ficar apenas com aquelas cores sem cor, os brancos pardos ou brilhantes, as madeiras cruas e os cinzas sóbrios e frios, para poder em algum momento não me preocupar se combinam ou não e em outro, explodir com uma cor qualquer que me apeteça usar na hora!

Desabafo lírico, ainda na continuação da minha publicação sobre cozinhas e cores! isto, porque me apetece escrever e não sei muito bem sobre o quê.

Deve ser do dia que está pardacento, fresco e outonal, sem cor definida!





Imagens da NET.

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Caminhar a patadas largas para canzarrão

Só para actualização:
Actualmente com 3 meses, mais dia menos dia, tem 5kgs.


sexta-feira, 7 de agosto de 2015

My Junk Journal

E finalmente já tenho o meu diário da tralha.



Forrei a capa com papel autocolante preto com ramos bronze e usei uma imagem que tirei do Pinterest para capa. Para cortar os tons escuros, utilizei uma oferta que me tinham feito há uns meses e para acompanhar atei algumas fitas com as mesmas cores, numa das argolas.


Iniciei com duas frases (Pinterest)


E fui encadernando postais


Envelopes


Desenhos que os herdeiros fizeram quando andava na creche e primária




Como separadores aproveitei escritas de um amigo






Inclui a minha primeira pauta (e única) quando tentei aprender a ler música e tocar guitarra. Fiquei-me pela tentativa.



Achei que teria a sua graça terminar com a mesma frase.
Sê simpático contigo próprio. Estás a fazer o teu melhor.


E gostei tanto que acho que vou fazer um segundo. 

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Cozinhas

Quando temos uns dias livres e têm que ser usados em algumas arrumações e/ou limpezas, lá em casa, a divisão que mais depressa me ocorre e se põe em inicio de lista é a cozinha.

Gosto de cozinhas, gosto de decorar cozinhas e só tenho pena que a minha não se preste a grandes decorações porque os azulejos não ajudam (e antes que perguntem, não, ainda não os pude mudar).

Como os azulejos não ajudam, tento ignorá-los e pintei os armários. Originalmente eram de madeira escura (não sei que madeira e quando fui para a casa, já não estavam imaculadamente envernizados).
Tentei manter a cor original uns anos, até que me cansei de tanta escuridão e pintei-os de beije ou marfim. Escolhi mal a tinta e o mate não ajudou. Aguentei-os um par de anos e há dois anos meti mãos à obra e pintei-os de verde com brilho. Aquele verde (acqua ou o que seja) que se usava antigamente.


Agora, vem a parte fácil de alterar a qualquer momento se nos dispusermos a gastar dinheiro e trocar o que se tem.
Escolher acessórios de que cor? Com acessórios, quero dizer, todo o tipo de loiças, almofadas das cadeiras, tapetes, pequenos electrodomésticos, etc.

Adoro vermelho e tenho muita coisa em vermelho, mas depois acho que há outras cores que ficavam melhor com a cor dos armários e fico na dúvida. 

Branco era uma delas, mas receio que tudo em branco, vá ficar aborrecido.


Também já me lembrei de não dar prioridade à cor dos armários, tal como não dou aos azulejos e usar mais do que uma cor.




E depois de tanto disparate junto, volto a ficar na dúvida, com receio de transformar a minha cozinha em um mostruário de possíveis, mas não efectivas decorações.

Nota 1 - Todas as imagens foram retiradas da net (Pinterest)
Nota 2 - Quando acabar as arrumações, digo em que é que fiquei, queiram ou não saber.

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Cães, cãozinhos, cãozarrões

Quando alguém descobre que procuramos uma companhia para o nosso cachorro de 5 anos, de 6kgs



de peso, porque a companhia que tinha faleceu vitima de doenças incuráveis juntas com a idade que já contava e nos convence a aceitar um cachorro de 2 meses com 1650g que ao fim de uma semana tem 2450g e no fim de outra tem 3300g que lhes devemos dizer?

- Obrigada pelo cãozinho ou cão?


Ou é melhor esperar até aos 10 meses altura em que atingem o peso adulto e agradecer nessa altura, dizendo:

- Gosto muito do cãozarrão que me impingiste!



Nota 1: Impingir é figura de estilo, porque ninguém me apontou nenhuma arma para aceitar.

Nota 2: A primeira foto é do meu bichinho de estimação, as outras duas tirei da internet. Dessas duas, a primeira é igual ao novo cachorro agora lá em casa. Até ver, a outra nunca será igual a nada que eu tenha em casa (espero eu, embora goste muito desta raça, mas na casa dos outros).

Nota 3: É nestas alturas, que eu gostava de morar no campo...